BLOG

Como melhorar os resultados de um negócio aliando dados e design?

“A informação é o petróleo do século 21 e a análise é o motor de combustão”. Essa frase foi dita por Peter Sondergaard, referência mundial em pesquisa e consultoria em tecnologia da informação, líder da Gartner Inc. A nova realidade corporativa, marcada pela transformação digital, traz consigo muita inovação, e também novas demandas. Aliar dados e design é uma das mais importantes. Sua equipe e sua empresa fazem uso dessa inteligência de negócio?

Data Thinking: o encontro dos dados com o design thinking

O Data Thinking nasce da interseção entre a Data Science (ciência dos dados) e o Design Thinking (abordagem para encontrar soluções ao longo do processo criativo a partir de conceitos do design). Quando uma empresa adota uma cultura data-driven, ou seja, orientada pela análise de dados, ela atinge outro patamar estratégico e, consequentemente, resultados muito mais satisfatórios.

Essa nova mentalidade confere diferencial competitivo e impulsiona os processos de quem a adota, a nível tático, estratégico e operacional. Aliar dados e design significa encontrar equilíbrio entre informações mensuráveis e sensibilidade criativa. Ao contrário do que muitos pensam, essas áreas não são excludentes, mas complementares. E esse encontro faz toda a diferença nas tomadas de decisão.

Design Thinking: uma ferramenta poderosa para o desenvolvimento de uma mentalidade data-driven e para a criação de novos produtos e serviços

Dados para design, design para dados

O papel do design é dar sentido às coisas e solucionar questões. Agora imagine só poder construir esses significados orientando-se por dados relevantes? O design que se fundamenta também em dados nos permite entrar em contato com uma série de informações que guiam a tomada de decisão com muito mais agilidade. Além disso, abrimos espaço para insights enriquecedores que podem aparecer ao longo do processo.

Por outro lado, os dados que são trabalhados sob o viés do design se tornam muito mais compreensíveis. A mentalidade data-driven só é efetiva quando inclui absolutamente todos os membros de uma empresa. É essencial que as respostas obtidas por meio do uso de dados em soluções de design sejam acessíveis a todos e todas!

Mas atenção: apenas coletar dados não é suficiente. A grande força está justamente em saber analisá-los e interpretá-los de forma a extrair informações relevantes ao negócio.

Se o presente é digital, o futuro é analítico

“Dilúvio de dados” foi uma expressão que estampou uma capa da renomada revista britânica The Economist, uma década atrás. Hoje, esse volume é ainda maior. Se a empresa não se dedicar a ser analítica, seus dados podem acabar confundindo os processos ao invés de facilitar.

A transformação digital, que impacta toda a sociedade e todos os mercados, é uma das principais razões para essa imensa quantidade de dados. E, se antes eles eram imprecisos ou pouco documentados, hoje existem métodos e tecnologias à nossa disposição que orientam a gestão dessas informações. Aliando dados, design e uma boa comunicação interna entre os membros e equipes, essas práticas nos revelam pontos importantes a respeito de comportamentos, tendências e necessidades do público.

Dados, design e a importância da cultura analítica
Capa da revista britânica The Economist, publicada em 2010.

 

Ao entrar em contato com essas informações, os profissionais têm melhores condições para encontrar respostas com agilidade e impactar positivamente os resultados da empresa.

Mensurar é preciso

Ponto importante: só conseguimos melhorar algo que pode ser mensurável, portanto, aqui vão algumas dicas para empresas em busca processos eficientes, equipes alinhadas e melhores resultados:

  1. Faça do Data Thinking parte da cultura empresarial;
  2. Monte uma equipe multidisciplinar e colaborativa, com um responsável para cada função específica;
  3. Defina métricas para resultados e indicadores de desempenho que possam ser quantificados;
  4. Crie modelos e padrões eficientes para a análise de dados — com o olhar do design, é claro.

Se queremos resultados melhores e diferentes, não podemos repetir fórmulas antigas. Aliar dados e design é uma necessidade dos negócios importante para refinar estratégias, permitir a compreensão de contextos e construir caminhos possíveis para implementar soluções a partir do que esse poderoso encontro nos fornece. Por isso, ambos são ferramentas para serem usadas com sabedoria.

Aqui na HOMA, aliamos o poder da criatividade inspirada no comportamento dos clientes à tomada de decisões baseada em dados. A implementação dessa estratégia acompanhada por números é o caminho para que o seu negócio cresça. Você está preparado?

Deixe uma resposta